A sonda da NASA de quase US $ 1 bilhão dólares acaba de enviar novas imagens deslumbrantes de Júpiter

Em 24 de Outubro de 2021, a sonda Juno de 1 Bilhão de dólares da NASA , sobrevoou  Júpiter a uma velocidade de mais de 46 mil quilômetros por hora e capturou um conjunto de imagens impressionantes da superfície do planeta.

No entanto, só agora que, os dados de imagem bruta foram processados – Os pesquisadores postaram todas as fotos online na terça-feira, e a comunidade amadora e profissional tem estado ocupada processando os arquivos para gerar novas fotos coloridas e impressionantes de Júpiter.

Assim como nos oito sobrevoos anteriores, o sobrevoo de Juno começou no Polo Norte de Júpiter. A sonda então seguiu varrendo milhares de quilômetros do Gigante Gasoso, e capturou imagens incríveis de alta resolução do topo de suas nuvens.

A casa sobrevoo mais próximo de Júpiter, a sonda da NASA se tornou  o objeto feito pelo homem mais rápido no sistema solar, atingindo uma velocidade de aproximadamente 46 mil quilômetros por hora.

Após sua passagem mais próxima a superfície ja realizada,  a sonda Juno então voou de volta ao espaço profundo e passando pelo Pólo Sul de Júpiter. A turbulência dos dois polos muda constantemente de aparência.

Como são processadas as imagens de Júpiter.

Para que as imagens cheguem a Terra a sonda Juno envia os arquivos brutos e os pesquisadores da NASA carregam esses dados no site da missão.

Lá, os entusiastas amadores e profissionais, processaram todos os dados de imagem monótonos, principalmente cinza,  transformando-os em fotos coloridas realistas, veja a seguir;

Júpiter é um planeta deslumbrante, com seus detalhes  e cinturões de nuvens grossas e suas as poderosas tempestades.

Júpiter é composto principalmente de hidrogênio. Gases básicos simples são o principal componente do sol e representam 90% da atmosfera. Quase 10% é composto de hélio.

Algumas tempestades são grandes o suficiente para engolir a terra – ou pelo menos uma grande parte dela.

A atmosfera deste planeta é um fluxo turbulento de hidrogênio e hélio.

A atmosfera de Júpiter é a maior atmosfera planetária do sistema solar. É composto principalmente de hidrogênio molecular e hélio, aproximadamente em proporção ao sol; outros compostos estão presentes apenas em pequenas quantidades, incluindo metano, amônia, sulfeto de hidrogênio e água.

Também há vestígios de moléculas como amônia, metano, enxofre e água, que dão às nuvens cores e características diferentes.

Essa mistura às vezes produz características que parecem um rosto humano (como mostrado à esquerda desta imagem).

Outras vezes, nuvens brancas brilhantes enchiam a maior parte da banda. A temperatura média de Júpiter é de 234 graus Fahrenheit negativos (145 graus Celsius negativos), e é fria mesmo no clima mais quente. A temperatura da Terra muda à medida que se aproxima ou se afasta do equador, enquanto a temperatura de Júpiter depende mais da altura acima da superfície.

 

Muitos cinturões de nuvens têm uma característica chamada formato em V. Essas perturbações atmosféricas atingem velocidades de centenas de quilômetros por hora, às vezes ziguezagueando em uma correia ou penetrando em outras.

 

Nesta visão de Júpiter da oitava zona próxima de Juno, dois cinturões de nuvens estão competindo pelo domínio – um dos quais contém uma tempestade de vórtice que é muitas vezes maior do que um furacão na Terra.

Veja também: