Sonda Curiosity capta mulher bizarra caminhando em marte. Como isso?

Com a sonda Curiosity vagando pela superfície do planeta vermelho e enviando inúmeras imagens para estudar, é inevitável que os avistamentos e teorias incomuns começassem a aparecer.

Até agora, as pessoas já viram uma pirâmide “feita pelo homem” em Marte e uma mulher marciana estranha supervisionando as viagens da sonda.1

Além disso, é possível que Marte tenha caranguejos.2

Ver imagens e rostos em cenas e paisagens abstratas é uma ocorrência surpreendentemente comum. De rostos da Virgem Maria sobre um queijo grelhado até um cabide-polvo agressivo, nós, seres humanos, tendemos a “ver” coisas que não existem.

3

Então, por que isso acontece? E com que frequência?

Como se vê, há uma explicação simples para encontrar imagens inesperadas em lugares incomuns – o fenômeno é chamado de pareidolia, que pode ser visual ou auditiva – a última das quais acredita-se ser a razão pela qual as pessoas acham que podem ouvir mensagens quando tocam certas músicas ao contrário.

A pareidolia é definida basicamente como um fenômeno psicológico que é acionado quando vemos uma imagem ou ouvimos um som, e a mente encontra um padrão ou imagem familiar onde não existe. A maneira mais fácil de explicar é esta: Se você já viu dragões, golfinhos e outras imagens aleatórias nas nuvens – é pareidolia.

Existem várias teorias a respeito de porque os seres humanos são atormentados tão agudamente com a pareidolia, mas a teoria de Carl Sagan é a mais amplamente aceita. Em seu livro “O Mundo Assombrado pelos Demônios – A Ciência vista como uma vela no escuro”, Sagan explica que a capacidade de identificar ameaças à distância ou com fraca visibilidade era essencial para a nossa sobrevivência. Os primeiros seres humanos que pensavam ter visto um leão no arbusto fugiam e, como resultado, sobreviviam. Aqueles que não tinham essa capacidade, ou que ignoravam o perigo potencial, eram comidos e mortos. É melhor fugir sem motivo, do que não fugir e morrer.

Nós, portanto, carregamos os genes das pessoas que fugiram e foram capazes de passar essa habilidade por várias e várias gerações. Quando encontramos um padrão ou imagem onde não pode existir, é tudo na verdade uma habilidade de precaução por sobrevivência – Sagan comentou que isso também pode resultar na má interpretação de imagens aleatórias ou padrões de luz como rostos e objetos familiares.

Assim, embora ninguém possa dizer com certeza se existem seres estranhos em Marte ou se divindades gostam se revelar em torradas – é provavelmente apenas o seu cérebro encontrando familiaridade no desconhecido