Perseverance encontra moléculas orgânicas na cratera Jezero em Marte

Em menos de um ano em solo marciano a sonda Perceverance Mars Rover da NASA,  já fez inúmeras descobertas mais do que surpreendentes.

Entre outras descobertas anunciadas pelo American Geophysical Union Fall Meeting  nas ultimas semanas, os pesquisadores confirmaram que a cratera Jezero é feita de magma vulcânico derretido – e também que moléculas orgânicas foram descobertas no local.

Podemos dizer que encontramos vida em marte?

Definitivamente não! Pelo menos por enquanto, a descoberta de compostos orgânicos no solo marciano não é evidência de ter havido vida em Marte.

Na verdade, os compostos orgânicos são simplesmente aqueles que contêm ligações de carbono – hidrogênio e podem ser formados por processos não biológicos.

Encontrar compostos orgânicos em marte não é novidade, isso já aconteceu antes tanto o Rover Curiosity quanto o Orbitador Mars Express, já encontraram compostos semelhantes em marte.

Mas esta descoberta feita pelo Perceverance Mars Rover em meio a rochas e poeira na cratera Jezero, sugere que o material orgânico biológico também pode ser preservado. E isso nos coloca um passo mais perto de descobrir possíveis formas de vida em Marte.

“A Curiosity também descobriu substâncias orgânicas em seu local de pouso na cratera Gale”, disse o cientista planetário Luther Beegle, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, no sul da Califórnia.

A Descoberta

De acordo com a NASA a descoberta foi feita com um instrumento chamado Scanning Habitable Environments with Raman & Luminescence for Organics & Chemicals, ou SHERLOC na sigla em inglês.

“O que o SHERLOC adiciona à história é sua capacidade de mapear a distribuição espacial de orgânicos dentro das rochas e relacionar esses orgânicos aos minerais encontrados lá”, explica Beegle. “Isso nos ajuda a entender o ambiente em que os orgânicos se formaram. Mais análises precisam ser feitas para determinar o método de produção dos orgânicos identificados.”

A sonda Perceverance Mars Rover chegou a Marte ainda no inicio de 2021, numa região chamada Cratera de Jezero. A NASA acredita que a cratera tenha já tenha sido coberta de agua no passado e que o solo da região seja rico em minerais de argila.

As características do solo na Cratera Jezero são vitais para a missão do Perceverance. Isso porque, pela primeira vez em uma expedição a marte um robô foi designado a encontrar evidências de vida antiga. Como sabemos aqui na Terra a vida prospera com facilidade perto da água.

Uma das missões do Perceverance é coletar amostras geológicas de Marte, para serem recuperadas e encaminhadas à Terra em uma missão futura chamada Mars Sample Return.

Para que sejam escolhidas apenas as melhores amostras, o Perceverance possui equipamentos científicos avançados capazes de realizar analises do solo antes de reservar às amostras que serão devolvidas a Terra.

O instrumento SHERLOC, por exemplo, foi capaz de detectar uma combinação de minerais orgânicos na cratera de Jezero. Não estavam apenas nas rochas que o rover desgastou com o propósito de estudar seu conteúdo interno, mas na poeira que cobriu o fundo da cratera.

Um outro instrumento acoplado ao Perceverance, o Planetary Instrument for X-ray Lithochemistry (PIXL), tambem permitiu que cientistas aqui na Terra pudessem aprender mais sobre a proveniência do leito rochoso na Cratera de Jezero. Após coletar uma amostra de núcleo em uma região apelidada de “Brac”, os dados da PIXL mostraram claramente a presença de cristais de olivina embutidos em cristais de piroxênio.

“Um bom estudante de geologia dirá que essa textura indica a rocha formada quando os cristais cresceram e se assentaram em um magma de resfriamento lento – por exemplo, um fluxo de lava espesso, lago de lava ou câmara de magma”, diz o geoquímico Ken Farley do California Institute de tecnologia.

“A rocha foi então alterada várias vezes pela água, tornando-se um verdadeiro tesouro que permitirá aos futuros cientistas datar os acontecimentos em Jezero, compreender melhor o período em que a água era mais comum na sua superfície e revelar o início da história do planeta. O Mars Sample Return terá muito por onde escolher! “

Quando as amostras de solo marciano serão enviadas para a Terra?

O envio das amostras de solo marciano para a Terra pode demorar um pouco para acontecer. Afinal, ainda não foi marcada nenhuma data para o inicio da missão Mars Sample Return.

Essa será uma missão muito demorada, já que para trazer as amostras de Marte para a Terra precisará ser feito uma viagem de ida e volta com tempo estimado de pelo menos um ano, sem levar em consideração o tempo necessário para coletar as amostras em solo marciano o que pode entender ainda mais a duração da missão.

Mas mesmo que demore para as amostrar serem enviadas a Terra, quando chegarem serão uma fonte de investigação e descobertas por anos, acreditam os cientistas.

Gostou de saber? Compartilhe com seus amigos, garanto que eles também vão gostar de saber mais sobre isso!

Veja também:

Com informações do Science Alert.