México irá utilizar drones para proteger ninhos de tartarugas

Oficiais mexicanos anunciaram recentemente que vão passar a utilizar drones para ajudar a combater a caça ilegal de tartarugas protegidas e seus ovos em praias populares.

Imagem do topo: Estudantes se preparam soltar filhotes de tartarugas no oceano

As tartarugas-oliva migram para La Escobilla e Morro Ayuta no estado de Oaxaca para fazer ninhos e deixar seus ovos. No entanto, apenas 0.02 a 0.2% de cada 10 mil tartarugas que nascem chegam a atingir a maturidade. Por isso, novas medidas estão sendo pensadas para diminuir as ameaças.

O culpado não é apenas o ser humano: os ovos e filhotes também são atacados por pássaros, cães e caranguejos. Entretanto, o principal foco do novo plano é impedir que moradores locais roubem esses ovos para comer ou vender.

No México, a conservação das praias é imposta pela polícia ambiental do México (PROFEPA), pela Marinha e comunidade local. O Centro Mexicano de la Tortuga administra o Morro Ayuta desde que a caça de tartarugas foi proibida, há 20 anos. O centro atua em parceria com a Marinha Mexicana, que recentemente passou a patrulhar as praias durante todo o ano – não apenas no período de reprodução dos animais. No entanto, por conta de um desvio de forças, uma nova aproximação é necessária para proteger as praias. Desde o desvio das tropas marinhas do local, ativistas locais acreditam que houve uma perda de 80% de ovos.

Por isso, a PROFEPA informou que estará utilizando drones voadores para vigiar as praias em uma tentativa de afastar os ladrões e proteger as centenas de ovos de tartarugas.