Curiosidades

A maioria das mulheres não se arrepende de abortar, mostra estudo

Em alguns países, como o nosso vizinho Uruguai, a prática do aborto é regulamentada e legalizada. Entretanto, no Brasil ela é proibida pela lei – ainda que isso não impeça que clínicas clandestinas recebam milhares de mulheres que desejam se arriscar, normalmente por acreditar que não terão como criar a criança “esperada”.

O assunto cria muita polêmica no Brasil, e um dos argumentos utilizados por aqueles que são contra a prática, é o de que as mulheres que abortam “acabam se arrependendo” no futuro. Entretanto, um novo estudo realizado nos Estados Unidos sugere que isso pode não ser bem verdade.

Um total de 667 mulheres que passaram por operações de aborto entre os anos de 2008 e 2010, em 30 clínicas diferentes, foram analisadas pelo novo estudo. As participantes responderam questões a cada seis meses durante três anos depois do procedimento. Os resultados, publicados na ‘PLOS ONE’ e replicados em uma publicação do ‘LiveScience’, mostram que 99% das mulheres acompanhadas dizem que fizeram a escolha certa ao interromper a gravidez, mesmo depois de três anos do procedimento.

“Dizer que as mulheres sofrem com problemas psicológicos depois de procedimentos de aborto, pelo menos nessas estatísticas, é um completo equívoco”, disse a pesquisadora Corinne Rocca, epidemiologista na Universidade da Califórnia.

Corinne diz que muitos defensores do argumento de que as mulheres sofrem após o aborto não se baseiam em nenhum dado concreto. “As pessoas argumentam questões emocionais, mas a verdade é que temos poucos dados sobre o assunto até o momento”, disse a pesquisadora ao ‘LiveScience’.

Nos dados “crus” do novo estudo, 95% das mulheres disseram que fizeram a escolha certa abortando, a cada uma das nova entrevistas. No entanto, esse número não é exato, já que algumas mulheres não responderam todas as entrevistas, e o dado não leva em consideração variações individuais ao longo do tempo. Depois de ajustes estatísticos para levar em conta esses fatores, os pesquisadores chegaram à conclusão de que 99% das mulheres disseram ter feito a escolha certa, em cada uma das entrevistas.

As mulheres, de acordo com os resultados, também disseram que as emoções decorrentes do aborto foram diminuindo ao longo do tempo, bem como a frequência dos pensamentos sobre o tema.