ISSO é o que acontece quando um raio atinge a areia. Já viu algo parecido?

Um único raio pode entregar 5 gigajoules, energia suficiente para abastecer uma família comum dos EUA por mais de um mês. Quando tal raio atinge uma área de areia como uma praia ou uma duna, as partículas de areia podem derreter e se fundir em menos de um segundo. A areia se funde a cerca de 1.800 graus Celsius, mas a temperatura de um raio pode atingir 30.000 graus, ou mais de 5 vezes a temperatura na superfície do sol. Se as condições forem adequadas, a areia fundida pode formar longos tubos ocos chamados fulgurites. O termo vem da palavra latina fulgur, que significa “relâmpago”. Embora raios atinjam a Terra pelo menos 1 milhão de vezes por dia, só raramente fulgurites são formados.

 

35
Fulgurites são normalmente encontrados sob a superfície da areia. A sua forma reflete o caminho que o raio levou conforme se dispersou no solo. Devido a isso, fulgurites às vezes são chamados “relâmpagos fossilizados”.

Fulgurites se parecem com raízes devido à sua ramificação, e têm uma superfície rugosa, coberta com grãos de areia parcialmente derretidos. Mas as superfícies internas são geralmente lisas e vítreas devido ao rápido arrefecimento e solidificação da areia. O tamanho e o comprimento de um fulgurite depende da força do raio e a espessura do leito de areia. Alguns fulgurites, que podem atingir até 80 cm de comprimento, podem penetrar profundamente no solo, às vezes atingindo 14 metros abaixo da superfície que foi atingido.

Fulgurites foram descritos desde 1711 e são encontrados em todo o mundo, desde os picos das montanhas até no deserto do Saara, mas são considerados raros. Eles não são preciosos, mas são apreciados por muitos por seu valor científico. Ao estudar a distribuição de fulgurites de uma área específica, por exemplo, pode-se inferir a ocorrência de atividade de tempestades na área durante um determinado período, que por sua vez pode ajudar a entender climas passados. Fulgurites de 250 milhões de anos de idade, encontrados no deserto do Saara, tem mostrado, ou melhor, confirmado, que o deserto era uma vez uma região fértil, onde as tempestades de chuva eram comuns.

Veja mais fotos:36 37 38 39 40