Manual da Vida

Enzima se alimenta de nicotina e pode ajudar fumantes

Buscando auxiliar as pessoas a largarem o cigarro, cientistas descobriram uma enzima bacteriana que devora a nicotina da corrente sanguínea, e essa pode ser uma boa ferramenta para esse objetivo.

Agora, o desafio é transformar essa enzima em uma droga terapêutica que possa ser utilizada para “comer” a nicotina do corpo de um fumante antes que as substâncias químicas levem a sensação “boa” do vício ao cérebro. Sem a ânsia cerebral pela nicotina, mais chance de deixar o cigarro, ou nem chegar a se viciar.

Até o momento, a enzima, que foi batizada NicA2, foi testada apenas em roedores, mas os pesquisadores já estão testando seus potenciais em seres humanos. A descoberta da NicA2 aconteceu depois de Kim Janda, químico biológo no Instituto de Pesquisa Scripps e sua equipe gastar 30 anos tentando descobrir uma forma de produzir uma enzima, em laboratório, para eliminar a nicotina do sangue.

No entanto, os cientistas foram surpreendidos com o fato de que tal enzima já existe na natureza. Os resultados dos testes realizados em laboratórios são encorajadores, e mostram que a enzima pode funcionar mesmo em temperaturas como a dor corpo humano, de 36,7ºC.

Agora, novos testes são esperados antes que exista confirmação de que a enzima pode ser utilizada como medicamento.