16 segredos que tentam esconder de você

Por trás de quase todas as coisas em nossa vida, há vários segredos que empresas e governos tentam esconder. Esses são alguns deles:

.1. Você só ganha 7 meses de salário por ano

Pelo menos se você mora e trabalha no Brasil. Como você deve saber, o país é um dos campeões mundiais em arrecadação de impostos. De fato, 5 dos seus 12 salários mensais vão direto para o governo em forma de impostos como o IRPF, INSS, ICMS, PIS, COFINS, ISS, IPVA, IPTU, ITR. Apenas a Suécia possui uma carga tributária maior que a do Brasil, mas não é nem preciso comparar os serviços públicos de qualidade do país europeu com os do nosso.

2. Pão torrado é perigoso

Alimentos ricos em amido, como pão e batata, quanto são aquecidos a temperaturas superiores a 120 graus, produzem acrilamida, uma substância ligada à incidência de câncer. Estudos foram realizados somente em ratos, de modo que não há uma certeza se a substância de fato provoca tumores em humanos.

3. Coca e Pepsi possuem uma substância polêmica

De acordo com estudos feitos em 2007 nos EUA, a substância metil imidazol (subproduto do corante caramelo IV,), presente em ambos refrigerantes, também está relacionada à incidência de câncer. Tal ingrediente também é usado na fabricação de medicamentos, tintas e produtos agrícolas.

Embora a Coca-Cola tenha negado as acusações, ela mudou na ocasião a fórmula em alguns estados norte-americanos para se adequar a lei, mas no Brasil a fórmula não será alterada, uma vez que a Anvisa afirma que a quantidade da substância na bebida não é significativa a ponto de provocar câncer.

4. Há insetos em sua comida

O processo de produção de um alimento industrializado é complexo. Ele passa pela colheita, processamento, embalagem, etc. É difícil, portanto, evitar que o alimento seja contaminado por minúsculos fragmentos de insetos ao longo de todo esse processo. De fato, a Anvisa publicou em 2011 um documento para debater os limites toleráveis para os amiguinhos indesejáveis em nossa comida. Segundo a agência, o máximo tolerado são 10 fragmentos de inseto a cada 100 g de molho de tomate ou 100 g de chocolate, e até 60 pedaços de inseto em 25 g de café torrado.

5. O chocolate está em risco de extinção

Uma notícia triste para os amantes do doce mais querido do mundo. Acontece que 72% da produção do cacau vêm da África, cujo solo enfrenta problemas. O cacaueiro costuma crescer em florestas na sombra de árvores maiores. No entanto, produtores estão derrubando outras espécies para plantar apenas o cacau. De fato, a produção aumenta em curto prazo, mas ao longo dos anos, o solo tende a ficar ressecado e erodido pelo forte calor, o que dificultará a colheita do cacau nas próximas décadas. Isso pode elevar seu preço consideravelmente em todo o planeta. Vale ressaltar que, embora o Brasil também seja um grande produtor do cacau, o país ainda importa.

6. Quanto mais religioso uma pessoa é, menos ela age por compaixão

Tal conclusão foi feita após um estudo da Universidade de Berkeley, nos EUA, envolvendo mais de 1.300 pessoas de várias religiões. As pessoas menos religiosas tiveram uma tendência a se guiar mais pela compaixão ao fazer atos de caridade (como oferecer o assento do ônibus a um estranho, por exemplo). A situação era oposta entre os mais religiosos, por outro lado. Segundo os pesquisadores, essas pessoas têm sua generosidade baseada em outros fatores, como doutrina e reputação ante os membros da comunidade.

7. 1/3 dos cientistas mente

Um estudo feito em 2005 pela revista Nature mostrou que 33% dos cientistas confessou anonimamente que fizeram pelo menos uma vez algo antiético em seus estudos. Desses, 1,5% cometeu plágio, 15,5% adulterou o método ou os resultados, e 12,5% usou dados não confiáveis.

8. A Rússia possui 42 cidades secretas

Juntando todas, elas abrigam 1,5 milhão de pessoas, mas não apareciam nos mapas até o final da década de 1980. Embora a existência desses locais seja conhecida atualmente, só é possível entrar neles com uma autorização do Ministério da Defesa ou da Agência de Energia Atômica da Rússia. Entre as cidades estão Kraznoznamensk, Ozyorsk, Vilyuchinsk.

9. Há fezes na carne de boi

Galpões onde se criam aves geralmente eram forrados com serragem, sabugo de milho triturado, feno e casca de arroz. Esse forro tende a ficar repleto de fezes, bactérias, penas e resíduos de medicamentos, e era usado para alimentar o gado no Brasil até 2004, mas felizmente foi abolida após concluírem que o gado estava sujeito a infecção da doença da vaca louca. Todavia, nos EUA a prática ainda é permitida.

10. Impressora a laser é poluente

De acordo com a especialista em qualidade do ar da Universidade de Queensland, Austrália, Lidia Morawska, algumas impressoras a laser, incluindo modelos da HP, Toshiba e Xerox, emitem uma alta quantidade de partículas ultrafinas que são tóxicas para os humanos, podendo causar problemas respiratórios. Acredita-se que tais partículas sejam formadas pela evaporação de compostos do toner submetido à altas temperaturas.

11. Não há risco em usar o celular no avião

É um tema bastante controverso e cheio de mitos, mas várias empresas já permitem o uso do eletrônico durante voos, e não há nenhuma queda ou acidente cuja causa foi o uso do celular. A explicação para a proibição está na rede de telefonia, que fica sobrecarregada com o uso de muitos celulares em altas altitudes (pois o celular fica trocando de rede muito frequentemente).

12. Eletrônicos e lâmpadas têm data de validade

De acordo com a própria Apple, a bateria do iPhone aguenta cerca de 400 ciclos completos de carga e descarga antes de começar a perder desempenho. Isso acontece por causa dos materiais usados na bateria de todas as fabricantes de smartphones, mas o caso é pior no celular da Apple pois sua bateria não é removível, o que exige assistência técnica (muitas vezes inviável) ou a substituição do aparelho.

O caso é semelhante para as lâmpadas incandescentes. Elas duram cerca de 1.000 horas, mas poderiam durar muito mais. Isso não acontece por causa de um acordo firmado entre as 7 maiores fabricantes da época feito nos anos 1920 para limitar a durabilidade do produto e assim vender mais.

13. O iPhone registra os lugares onde você esteve

Tais dados ficam armazenados no celular e são transferidos para o computador durante a sincronização. Embora não existem evidências de que tais dados sejam enviados para a Apple, qualquer pessoa com conhecimento que tenha acesso ao computador é capaz de acompanhar seus movimentos e saber onde você esteve.

14. Há lixo radioativo em São Paulo

Na avenida Miguel Yunes, 115, em Interlagos, há um terreno com 80 toneladas de areia com materiais pesados provenientes da extinta usina Usina de Santo Amaro, que fechou em 1992. A areia possui 4 minerais: ilmenita, zirconita, rutilo e monazita, onde apenas o último é radioativo, contendo tório (5%) e urânio (0,2%).

15. Os EUA e a Rússia têm vírus capaz de devastar o mundo

Responsável pela morte de cerca de 300 milhões de pessoas no século 20, a varíola só foi erradica após intensas campanhas de vacinação. Mas o microrganismo responsável pela doença, do gênero Orthopoxvirus, é mantido em segredo em estoques congelados em ambos os países desde a Guerra Fria. Caso o vírus seja deliberadamente (através de terrorismo) ou acidentalmente liberado, pode trazer consequências apocalípticas, uma vez que a vacinação foi interrompida há mais de 30 anos (e para manter a eficácia, a vacina teria de ser reaplicada a cada 10 anos).

Nos EUA, o vírus está no Centro de Controle e Prevenção de Doenças, em Atlanta, onde está também armazenado o vírus ebola e a bactéria Bacilos anthracis (antraz)

16. Há rastros de remédios na água da torneira

Quando ingerimos um medicamento, apenas cerca de 30% de sua dose é aproveitada. O restante é desperdiçado através da urina e fezes, que vão embora pela descarga. O fato assustador é que os sistemas de tratamento não são equipados para remover essas moléculas, que contaminam rios, lagos e reservatórios, até retornar para sua torneira. Isso significa que se você costuma beber água da torneira, está ingerindo resquícios de remédios tomados por outras pessoas. Mas não é motivo para desespero: a quantidade dessas substâncias na água é bem pequena, algo como 1 em trilhão, e não há evidencias que elas causem problemas em humanos.