Rara borboleta é metade macho e metade fêmea



Uma borboleta incomum que é metade macho e metade fêmea recentemente chamou a atenção de um voluntário em uma exposição de borboletas na Universidade de Drexel, na Filadélfia, EUA.

Chris Johnson, engenheiro químico aposentado do Swarthmore, Pensilvânia, estava trabalhando como voluntário na exposição quando se deparou com a visão incomum.

Johnson notou que as duas asas da direita do inseto eram típicas de fêmeas de sua espécie – elas eram maiores, e marrom com manchas amarelas e brancas. Mas suas duas asas esquerdas eram menores e mais escuras, com salpicos de verde, azul e roxo, uma característica padrão de machos.

Um especialista em borboletas confirmou mais tarde que o inseto notável era uma borboleta Archduke Comum (Lexias pardais) com uma condição rara chamada ginandromorfia, o que significa tanto características masculinas quanto femininas. (Isto é distinto do hermafroditismo, em que um organismo tem tanto órgãos reprodutores masculinos quanto femininos, mas tem características externas de um gênero).

A condição é mais comumente observada em aves e borboletas, cujos dois sexos podem ter uma coloração muito diferente. Pode ocorrer quando os cromossomos sexuais não conseguem se separar durante a divisão celular no desenvolvimento, um processo conhecido como disjunção. Como resultado, algumas células do animal tem um genótipo feminino, e outras têm um genótipo masculino, dando origem a um animal com ambas as características de sexo.

Como a ginandromorfia pode ser facilmente esquecida em espécies nas quais os dois sexos são semelhantes, os cientistas não sabem dizer o quão rara é a condição.

A borboleta que Johnson encontrou é um membro de uma espécie pertencente à família Nymphalidae, e vive em florestas tropicais do sudeste da Ásia.


borboletametade fêmeametade macho