O BIZARRO homicídio voluntário de Sharon Lopatka



Sharon Rina Lopatka nasceu no dia 20 de setembro de 1961 e faleceu no dia 16 de outubro de 1996, com 35 anos, naquele que provavelmente foi o primeiro caso de homicídio consentido motivado pela Internet.

Sharon cresceu nos subúrbios de Baltimore, nos Estados Unidos, e viveu em uma casa de judeus ortodoxos. Entretanto, casou-se com Victor Lopatka, um católico praticante, naquilo que pode se considerar uma afronta à sua educação religiosa. Depois de comprar um kit de internet de uma companhia do Arizona, a garota começou um negócio lucrativo: leituras psíquicas pela internet.

Mas foi no dia 20 de outubro de 1996 que o marido de Sharon chamou a polícia para relatar seu desaparecimento. O rapaz forneceu às autoridades cópias de e-mails trocados entre Sharon e alguém que utilizava o username ‘slowhand’ (mão lenta, em inglês). Depois de algumas investigações, a polícia ligou os e-mails ao nome de Robert Frederick Glass, e então começaram buscas na sua casa. Eis que o corpo da garota acabou sendo encontrado a cerca de 20 metros da residência de Glass, na Carolina do Norte, a cerca de 1100 quilômetros de Baltimore.

Quando conversou com a polícia, Glass disse que a morte de Sharon foi acidental, e que aconteceu depois que algumas ‘brincadeiras sexuais’ deram tragicamente errado. No entanto, a polícia encontrou chats entre o rapaz e a garota discutindo um fascínio mútuo por tortura sexual e assassinato. Além disso, Sharon teve um encontro semanas antes de sua morte com um rapaz que também compartilhava de suas fantasias sexuais, mas ele acabou desistindo de manter as relações com a garota.

Em 27 de janeiro de 2000, Glass foi considerado culpado pelo homicídio voluntário de Sharon, além de ser acusado de exploração sexual de menores. Suas últimas acusações foram de que o rapaz mantinha pornografia infantil em seu computador. Ele foi sentenciado a a 36-53 meses de prisão por homicídio culposo e 21-26 meses por posse de pornografia infantil. Em 20 de fevereiro de 2002, quando estava prestes a ser liberado por bom comportamento e cumprimento parcial da pena, Glass sofreu um ataque cardíaco e faleceu.


homicídio voluntáriosharon lopatka