Foi encontrada uma ligação genética entre doenças mentais e criatividade



Doenças mentais, como esquizofrenia e transtorno bipolar, podem compartilhar algumas raízes genéticas com a criatividade, sugere nova pesquisa.

Depois de olhar para os dados genéticos retirados de mais de 150.000 pessoas, os pesquisadores descobriram que aqueles em carreiras artísticas e criativas são mais susceptíveis de transportar genes que os predispõem a um risco de doença mental.

Esta não é a primeira vez que uma ligação genética entre doenças mentais e criatividade tem sido sugerida. Historicamente, muitas das mentes mais brilhantes da sociedade também lutaram com problemas mentais, ajudando a reforçar o estereótipo do “artista torturado”, e uma série de estudos ao longo dos anos também ajudou a suportar a ligação. No entanto, a evidência genética tem sido bastante irregular até agora.

Na nova pesquisa, uma equipe de cientistas da empresa biofarmacêutica deCODE Genetics, na Islândia, olhou para os dados obtidos de 86.000 pessoas islandesas.

Eles descobriram que os indivíduos que trabalhavam em uma profissão artística ou que pertenciam a uma sociedade artística eram 17% mais propensos a ter variantes genéticas ligadas à doença bipolar ou esquizofrenia do que outros membros do público.

A equipe então replicou sua pesquisa com os dados obtidos de pessoas nos Países Baixos e da Suécia, e descobriu que, neste subgrupo, criativos eram quase 25% mais propensos a transportar os genes de transtornos mentais do que seus pares não-criativos.

“Isto não pode ser explicado por um aumento parentesco entre indivíduos criativos e pessoas com psicoses, indicando que criatividade e psicose compartilham raízes genéticas”, concluem os autores na revista Nature Neuroscience.


criatividadedoenças mentais