Entenda a intolerância à lactose



Se você já tem alguma idade, certamente percebeu que a intolerância à lactose vem afetando cada vez mais pessoas em todo o mundo. Mas o que será, exatamente, essa condição do ser humano?

Uma publicação do ‘NewScientist‘ explica que a lactose, principal açúcar presente no leite, precisa da enzima lactase para ser digerida. Essa enzima é produzida naturalmente pelos mamíferos filhotes, mas tal produção costuma terminar após o tempo de amamentação, fazendo com que esses filhotes, quando adultos, já não consigam digerir o açúcar. Essa condição é conhecida como ‘intolerância à lactose’. Como o açúcar não é digerido, ele chega até o cólon, alimentado bactérias que geram gases e fluidos, causando muitas dores e diarreia – os principais sintomas da intolerância.

Isso deveria acontecer com todos nós, se não fosse uma mutação de 7000 anos de idade, que fez com que, hoje em dia, 35% da população mundial possa digerir lactose. O quadro abaixo, da Universidade de Reading, publicado pelo portal supracitado, mostra que certas regiões do globo, como a China e parte do sul da África, têm um índice de 90% de pessoas que acreditam ser intolerantes à lactose.

Entre os que são intolerantes, a maioria apresenta seus sintomas antes dos 16 anos de idade. Entretanto, alguns adultos podem também desenvolver a condição. Certas pessoas, diz o ‘NewScientist‘, podem se tornar temporariamente intolerantes por resultado de gastroenterite, doenças intestinais e outras condições.

Também é importante ressaltar que os testes de farmácia, realizados fora de ambiente médico, deixam dúvidas e não são cientificamente comprovados. O exame mais comum e confiável consiste em um teste de hálito, que detecta a fermentação da lactose por bactérias intestinais.3

 

Por último, especialistas dizem que uma pessoa intolerante à lactose pode beber até 250 ml de leite por dia de apenas uma vez, sem ter sintomas. Entretanto, essa quantidade pode até mesmo dobrar caso a quantidade de leite ingerida seja espaçada durante o dia. Além disso, muitos intolerantes não têm problemas com iogurtes e queijos, já que esses produtos têm sualactose normalmente quebradas pelas bactérias que fazem parte da sua produção. Ao contrário, os leites de búfalo, cabra e ovelhas devem ser evitados


intolerância à lactoselactoseLeite