Gosta de dar uns beijos? Aqui estão 9 coisas que você não sabia sobre o beijo, mas deveria



O beijo é algo que todos nós gostamos e é uma das melhores partes de um relacionamento. Beijar pode fazer você se sentir desejado e mais especial do que qualquer outra coisa no mundo.

Os lábios são a zona erógena mais exposta dos nossos corpos. Nossos lábios estão cheios de terminações nervosas e até mesmo o mais leve toque pode nos fazer sentir maravilhosos. Vamos dar uma olhada em 12 fatos sobre o beijo que você pode não saber e até se surpreender.

1. Uma pessoa comum gasta cerca de duas semanas da sua vida beijando

Os cientistas calcularam que uma pessoa comum gasta cerca de 20.160 minutos, o que equivale a duas semanas, beijando.

Não se parece como uma quantidade absurda de tempo quando você considera que uma vida comum dura de 75 a 90 anos, mas quando você adiciona o fato de que os beijos geralmente durante apenas alguns segundos, duas semanas de beijo é realmente muito tempo.

2. Beijar pode salvar vidas

Os cientistas calcularam que os homens que beijam suas parceiras todas as manhãs depois de acordar e sair para trabalhar tendem a viver 5 anos a mais do que aqueles que não o fazem. Portanto, se seu marido não faz grandes demonstrações de afeto, você pode querer compartilhar essa estatística com ele!

Não existem estatísticas sobre se um beijo antes do trabalho pode prolongar a vida de uma mulher, mas não há dúvida de que pode tornar a vida muito mais emocionante e menos estressante. Em vez de tomar vitaminas, fazer exercícios ou cortar doces de sua dieta (não que isso não seja importante!), você pode prolongar sua vida apenas adicionando um único beijo ao seu dia.

3. Muitos benefícios de saúde

Beijar pode ser apenas o que o médico precisa prescrever para queimar calorias. Beijar queima de duas a três calorias por minuto ao movimentar 34 músculos faciais e 112 músculos relacionados com a postura e, com isso, podemos perder de 2 a 4 calorias por minuto.

Além disso, beijar também pode dar um impulso ao seu sistema imunitário. Os médicos acreditam que o beijo pode ajudar a combater várias doenças, bem como ajuda a prevenir as cáries. Isso acontece porque durante a troca de saliva, diversas substâncias como gordura, sais minerais, proteínas, etc, são trocadas, o que incentiva a produção de anticorpos associados a diferentes doenças. As cáries são prevenidas por conta da maior produção de saliva durante o beijo.

Quantas vezes algo que você realmente gosta de fazer pode trazer benefícios grandes para a saúde? Quase nunca! Quem poderia ter imaginado que trocar saliva pode ajudar a mantê-lo saudável? Então, da próxima vez que seu namorado ou namorada dizer que não está no clima para beijar, lembre-o (a) de que o ato é benéfico para a saúde.

4. Existem pessoas que ganham a vida estudando beijos alheios

Há cientistas por aí que são pagos para estudar pessoas se beijando. A ciência que estuda o beijo é conhecida como filematologia.

Assim, se o beijo é a sua coisa favorita, você pode querer considerar uma opção de carreira que lhe permite passar os seus dias estudando esse ato.

5. Beijos nas telas antigas

O Código Hays, de 1930, impedia que atores de Hollywood beijassem seus personagens companheiros horizontalmente durante as filmagens, o que significa que eles não podiam se beijar deitados. O código também limitava o beijo a no máximo 3 segundos, além de exigir que casais dormissem em camas de solteiro em filmes e na televisão. O Código Hays foi abandonado na década de 1960.

6. Beijos causaram problemas no transporte francés

Todo mundo sabe que Paris é a capital do amor, mas isso foi um sério problema no começo do século passado. Em 1910, os franceses proibiram os beijos em estradas de ferro, pois estava causando muitos atrasos de trens.

Consta que, no século 20, os passageiros franceses estavam se beijando tanto nos trens que muitas vezes tinham que ser expulsos. Os franceses eram muito mais abertos quando se tratava de demonstrações públicas de afeto, mesmo em uma época tão conservadora.

7. Beijar já foi contra a lei

O rei Henrique IV proibiu beijos em toda a Inglaterra em 1439. O decreto foi feito em uma tentativa de impedir a propagação de doenças em todo o reino. Ele acredita que o corte da prática reduziria o elevado número de doenças que assolava o reino na época. Henrique IV sofreu um colapso mental em 1453, possivelmente por causa da falta de afeto em sua vida, e sua esposa teve que assumir o controle do reino.

8. Aprendendo com os ratos

Os pesquisadores dizem que o desejo do beijo descende de uma espécie de rato antiga conhecida como Eomaia scansoria. O rato antigo beijava seu companheiro(a) esfregando os narizes. Isso dava aos animais uma amostra de feromônios.

Os cientistas afirmam que os ratos e os homens têm uma composição genética muito semelhante. Camundongos, ratos e homens compartilham um ancestral comum que viveu entre 75 e 125 milhões de anos atrás. A criatura como um rato era chamada Eomaia scansoria. Os cientistas acreditam que as criaturas esfregavam seus narizes de forma que podiam obter uma amostra de feromônios e informá-los dos seus desejos.

9. Seu estilo de beijar pode se originar no útero

Os pesquisadores afirmam que dois terços das pessoas inclinam a cabeça para a direita durante o beijo. Acredita-se que o instinto de inclinar a cabeça em uma direção ou outra se origina no útero, quando o feto deita sua cabeça para a direita ou esquerda.


beijobeijo queima caloriascuriosidade sobre o beijo